quarta-feira, 26 de agosto de 2009

O escorpião, Nuno Brolock, Nuno Markl e o Provedor

Seguindo as peugadas do outro Nuno, este Nuno também se arrisca a que um dos 841 leitores diários deste blogue, apresentem uma queixa ao Sôr Provedor. Enquanto que o outro foi criticado pelas sucessivas crónicas sobre a paternidade, este poderá sentir o mesmo devido ao Yoga. Mas o que fazer? Nada. Limito-me a escrever sobre o momento que atravesso. E para além disso, por ter exagerado no número de leitores - na verdade são apenas 742 - as possibilidades reais de ser contacto pelo Sôr Provedor são tantas como, por exemplo, o conde José Castelo-Branco ao ser questionado na alfândega sobre onde escondera os dentes de marfim responder "no cu do conde" e não estar a ser sincero!

Dito isto, vamos ao que interessa: o Yoga. A posição que vos trago hoje é a do escorpião.

Claro que nesta fase embrionária ainda não estou neste patamar. Em vez de 4 pontos de apoio (mãos e cotovelos como a foto demonstra) uso 3 (as mãos e apenas um joelho) mas em contrapartida somente uma das pernas é que esta em suspensão (o "ferrão") secundada pelo peito do outro pé. Ainda tenho de treinar muitas horas para atingir a fase final desta posição (bem como mandar retirar 4 costelas).
Apesar de ainda estar num patamar intermediário da posição do escorpião (e reparem que era apenas isto que eu tinha para dizer... por que raio é que escrevi uma introdução tão grande? Terá sido para escrever o nome "Markl" e para assim obter mais leitores que ao irem pesquisar na net fotos da Galvão-Markl, badum, darem de caras com o meu blogue? Se foi, acabei de o fazer novamente e desta vez acrescentei "Galvão"! Badum, cá está de novo) dizia eu, apesar de ainda estar num patamar intermediário da tal posição, depois de alguns minutos começo a sentir ferroadas pela perna toda.
Pronto, era só isto.

6 comentários:

Cláudia L. disse...

Estás a querer ser garganeiro. Até parece que não te chegam os teus 20 fiéis seguidores.
Pobre e mal agradecido, é o que tu és.
Vai mas'é iogar pá!

Cátia disse...

Vai lá vai!!!

Aposto que nos tempos de criancice muitos de nós fizémos esta posição - inconscientemente, 'tá claro - nem que fosse ao construir uma "ponte" ou "ponte pino" (de forma lenta) ou até mesmo uma cambalhota mal dada, hum?

Claudio de Sousa disse...

eu cá para mim é mais a posição de lagarto ao sol assim meio a cair da poltrona, técnica aperfeiçoada durante anos :o)

nuno brolock disse...

lagarto, nunca! :)

Dinis Lapa disse...

Para já, ninguém lê isto a sério. Tuas palavras são poesia cuja densidade exige tamanha concentração que só os mais aptos se aventuram a realmente ler as tuas palavras. Depois, não te vejo a fazer essa posição (tendo em conta que és badocha).

nuno brolock disse...

Poeta não sou, nem tão pouco badocha! :)